A Arquitetura em San Francisco e seu apelo visual


A inspiração deste post veio deste prédio antigo em San Francisco. Mas para contar uma estória mais interessante, resolvi filosofar sobre a arte, arquitetura e alguns símbolos arquitetônicos que já encontrei. Mas pode ir até o final que tem mais fotos de San Francisco.

Os praticantes das diversas ciências muitas vezes se consideram artistas. Toda vez que alguém realiza um trabalho com primazia, diz-se haver feito uma obra de arte. Deixando estas generalizações de lado, alguns trabalhos mais facilmente podem se confundir com obras de arte. Acredito que as atividades cujo resultado final despertam nossos sentidos são atividades artísticas.

Assim, música, dança, culinária, fotografia e arquitetura tem um viés artístico. Bem, sendo eu um leigo no assunto, fique à vontade para ignorar minha definição. Este devaneio é resultado de uma farta taça de um bom vinho australiano. Obra de arte (barata), diria alguém.

Estou aqui nesta embromação para justificar um post sobre arquitetura. E, mais especificamente, porque eu gosto de fotografar obras arquitetônicas. A beleza das formas estruturais, dos enfeites agregados e do balanço das construções encantam, atiçam, despertam o interesse pelo seu visual.

Em alguns casos, a beleza é prática. Os prédios tem um objetivo de uso bem definido e a sua beleza consiste em sua utilidade. Em outros há uma pretensão estética que chama a atenção. A beleza tem um peso maior que a utilidade.

Sendo uma pessoa pragmática, fico sem entender o que motiva a alguém a construir uma façada detalhada como a da primeira foto. Acho mais fácil entender as colunas no prédio do Google. Tem claramente uma função estética, mas eu diria que ninguém gastou mais de 15 minutos pensando nisto. Será que estou desvalorizando o trabalho árduo de alguém arquiteto?

Os detalhes religiosos são mais fáceis de entender. Afinal, faz-se qualquer coisa em nome da religião. Constroe-se a estátua, atribui-se-lhe o valor de divindidade e presta-se-lhe culto. É a busca do transcendente.

Crendo em uma espiritualidade que vale enquanto prática, enquanto vivenciada, lamento que que tanto valor seja dado aos símbolos religiosos. Certamente mais valor do que a prática religiosa recebe. Precisamos rever estes valores.

Como em toda arte, a arquitetura também transmite sua mensagem. É fácil ver a bandeira do Japão neste monumento que celebra o centenário da imigração japonesa no Brasil. Acho mais raro este tipo de arquitetura.

Não se pode esquecer que a arquitetura é um fruto da cultura e de seu tempo. As construções em estilo enxaimel, encontradas no sul do Brasil vêm de uma época onde não se conseguia pregos ou parafusos com facilidade. A solução era encaixar as madeiras e conseguir subir o prédio. No caso desta foto, é apenas uma imitação do estilo. Coisa para turista.

Independente da motivação, a resiliência das obras arquitetônicas, o efeito do tempo e a ligação histórica as tornam interessantes. Quando têm aparência de velha, a gente prefere usar o preto e branco. Sinal dos tempos?

Falando de San Francisco, que é o tema recorrente por estes dias, há um monte de estilo diferente na cidade. Para todos os gostos, eu diria.

As arquiteturas de prédios modernos e sua faceta geométrica instilam a busca de padrões. Diferentemente do prédio da foto inicial, este prédio se localiza na parte mais moderna de San Francisco. Parece que há um estilo para cada região da cidade.

O Exploratorium mistura o conteúdo científico de suas exposições com as esculturas ao ar livre de seu pátio. Difícil saber para onde olhar, tantas as belezas do lugar. Recomendo o filme “A Rocha” para quem quer ver uma bela cena do Sean Connery encontrando sua filha neste local.

A região dos cais tem uma arquitetura mais frugal. Nem por isto é menos bela. Prédios antigos, agora convertidos em grandes lojas, restaurantes ou casas de diversão conservam um estilo que não sei definir. Mas é legal de ver.

Até a prefeitura parece uma obra de arte. Detalhes diversos em seu prédio deixam os fotógrafos de plantão sem saber para onde apontar as lentes. Como eu estava usando um zoom muito grande, tentei mostrar os detalhes que a olho nu são imperceptíveis.

De todos os diferentes estilos, o que mais me chama a atenção em San Francisco são os prédios em estilo vitoriano. Na verdade, eu sei lá se este é o nome do estilo. O nome pouco importa, importa é que estas construções em ruas inclinadas são belas. Acho curioso que tanta gente tenha optado por construir de forma parecida. É o Zeit Geist da construção civil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.