Falando a verdade


A realidade é única, entretanto múltiplas são suas interpretações. De pontos de vistas diferentes, a verdade passa a ser algo relativo, pessoal. Não que exista mais de uma verdade, não é o caso. É que a percepção do que é verdadeiro é pessoal, dependente de circunstâncias, crenças e experiências. Depende dos olhos e lentes de quem interpreta.

A fotografia falha como meio de exposição da realidade. O equipamento frio, as lentes translúcidas, o sensor sem inteligência apenas retratam o que está diante de si. Isto não significa que o equipamento não retrata a realidade como é. Ele retrata a realidade como apresentada pelo fotógrafo. A fotografia é uma interpretação, uma criação do fotógrafo. Arte.

O foco seletivo atrai os olhos para onde o fotógrafo quer. E se o foco não está no que se considera o ponto central, há uma tensão subjacente. A foto acima é de uma cerca ou de uma mulher? O foto está na madeira, mas o brilho de seus óculos torna a mensagem dúbia, confusa e intrigante. A realidade está distorcida.

Muitas distorções se sobrepõem na formação de uma imagem. A distorção da realidade pode ser óbvia, traindo a si mesma. Por outro lado, sendo exagerada, traz uma mensagem explícita.

Se for sutil, passa despercebida.

Seria esta uma piscina retangular ou circular?

Há quem defenda a verdade a qualquer custo, em qualquer tempo, em qualquer lugar. Sob a égide de nobre moral, a verdade de forma legalista é útil para a manutenção do mal.  A verdade é uma arma nas mãos de gente mesquinha e egoísta. A verdade precisa ser temperada com beleza e amor para ser útil e benéfica. A verdade, como todas as virtudes, não é boa em si mesmo. Veja ”

” de André Comte-Sponville.

Assim também acontece com as imagens. Mais do que mostrar a realidade, o fotógrafo precisa encontrar e expressar a beleza que existe, em muitos casos, sob uma aparente dura e triste realidade.

Acredito que você já aceita que nem toda a verdade é boa. Não se surpreenda, também há mentiras nobres. Mentiras que protegem a honra, preservam a dignidade, enaltecem e valorizam a vida. Eu poderia citar as parteiras egípcias que salvaram crianças hebréias ao mentir para faraó, Kore Teen Boom que salvou judeus escondidos em sua casa, Dietrich Bonhoeffer que se passou por nazista para combater Hitler ou o famoso Schindler, que com sua lista não apenas ganhou o Oscar, mas salvou vidas.

Apesar de não ser capaz de apresentar um exemplo similar na fotografia, já me deparei com situações onde mostrar a verdade não seria benéfico.

 ou o que vê. Só um tolo mostra tudo.

Isto posto, pense bem quando for maquiar a verdade. Alguém está olhando para você. Espero que veja algo bom.

PS: recomendo a leitura de “O que significa dizer a verdade” de Dietrich Bonhoeffer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.