Um sábado no clube


Havia muito tempo que eu e meu amigo Rodrigo não sentávamos para conversar. Digo aquele tipo de conversa de amigo, em que a gente fala da vida, do sentido da vida, da vida sentida e da falta de sentido da vida. Você sabe, aquela filosofia profunda, típica de dois catedráticos pragmáticos. Pelo menos é assim que me sinto quando converso com o Rodrigo.

Por alguma razão de força muitíssimo maior, ele não trabalhou neste sábado. Quando ontem a Carina me pediu que ligasse para ele e combinasse algo para fazermos no sábado, já que ele não trabalharia, fiquei preocupado. Estaria ele doente? Seja qual for a causa primária, era melhor aproveitar a oportunidade. Combinamos de passar o dia no Country Clube Jaraguá, do qual ele é sócio.

Foi um dia muito gostoso. O céu parcialmente nublado aplacou a força do sol sem deixar o dia frio. As muitas piscinas davam bastante opções e os meninos aproveitaram o toboágua. Como o risco de chuva não baixou, o clube não estava muito cheio e a fila era curta e rápida. Ou eles desciam com o ‘espaguete’ ou a Gabriella garantia a segurança deles ao final do toboágua. Foi muito gentil da Bibi dar atenção para eles o dia todo.

Enquanto o Rodrigo me levou em um tour para conhecer o clube, a mulherada ficou tranquila em suas tricotagens, rindo muito e falando dos maridos. Não necessariamente nesta ordem. Parece que demoramos neste passeio, porque quando chegamos estava todo mundo com fome. Pelo visto, ficar sentado conversando dá muita fome!

O fato é que todo mundo aproveitou bastante. As mulheres que queriam pegar um bronzeado sem ficar ao sol se ajeitaram sob os sombreiros e chapéus.

Tivemos sessões de pulos fotográficos diversas, quase todo mundo tentou sair numa pose atlética.

Esta foto, por exemplo, é o final de um salto da Pierina. Não posso colocar a foto dela pulando de bíquini sem ela aprovar, né? Mas os pézinhos bonitinhos estão aí para provar que ela pulou.

Entre uma partida de peteca, uma porção de fritas, sorvetes e baconzitos, uma pose para fotos.

Aqui estão eles, Ro e Pi, o casal mais simpático e bacana que existe. A companhia deles é diversão garantida!

Os meninos, que só se importavam com a água e, claro, com comida, terminaram o dia com as bochechas vermelhas. Menos vermelhas que minhas costas, que neste momento estão ardendo bastante. 

Este sorriso lindo confirma que o dia foi muito bom. Para entender porque minhas costas ficaram vermelhas, repare nos óculos da Carina um cara de sunga azul, barrigudo, se contorcendo sob o sol escaldante para tirar a foto. Este que vos fala. 

Para ajudar, vai uma versão com zoom:

Muito obrigado aos amigos pela oportunidade preciosa. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.