Sábado no parque Great America


Quando eu era criança eu gostava de assistir o Domingo no Parque. Eu achava curioso o nome do programa porque não tinha nada de parque lá. E era engraçado eu assistir o Domingo no Parque no sofá de casa. A indústria do entretenimento vende uma emoção de um jantar e entrega uma pizza fria.

A agenda hoje estava vazia. Além de levar o cachorro para vacinar, tomar banho e se matricular em um treinamento para melhor comportamento, nada previsto. Depois de 1 pneu estourado e outros 3 furados no último passeio, ninguém me pediu para andar de bicicleta. Sugeri que fôssemos conhecer o

e para lá fomos.

O parque até surpreendeu. Sem a fama e a pompa dos parques de primeira linha (

,

) a expectativa não era grande apesar da boa recomendação de amigos. Um parque grande com uma excelente variadade de brinquedos nos entreteve a tarde toda. Os meninos, pouco afeitos a exercícios físicos, logo se cansaram de andar e pediram arrego.

Eu já fiquei mareado logo após a primeira (e única) montanha russa. Eu achei que eram apenas os dois loops e não tinha percebido que ela fazia um parafuso com 3 voltas. Deu muita volta eu fico enjoado (mais que já sou). Mas resisti bravamente e curti os 5 brinquedos que fomos.

Os meninos se divertiram à beça. É curioso como o medo logo antes de entrar no brinquedo dá lugar aos pedidos de “vamos outra vez” pouco antes de sair dos assentos. Adrenalina é intoxicante.

Na hora do “vamos ver” você esquece até de respirar. A brincadeira é desafiar a gravidade (com muita segurança) e pensar que vai morrer. O medo toma conta logo antes do imenso frio na barriga e o alívio cheio de tremores do fim do passeio. Deve ser bom para desestressar.

Os lagos e jardins bonitos e tranquilos propiciam um contraste. Ah se fosse tudo calmo assim…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.