A vida é estranha


Brincando na poça

Uma poça é o suficiente


Temos gêmeos, que estão quase fazendo 10 anos. Eles estão em uma fase de transição, quando algumas coisas da infância já estão para trás enquanto algumas atitudes adultas começam a aparecer. Tudo é ainda muito instável, às vezes você ouve algo muito maduro seguido de alguma fantasia de criança. Um tempo divertido, certamente.

Estas mudanças aliadas com a chegada aos “enta” têm me feito pensar bastante. Já passamos por tantas coisas e muitas ainda virão. Já não tenho o mesmo pique de antigamente. Eu lembro quando trabalhava 16 horas por dia, dormia pouco mais de 6 e me sentia cheio de energia o tempo todo. Ou quando eu tinha meu emprego, um bico, fazia mestrado e tinha dois recém nascidos em casa. Fico orgulhoso de lembrar disto, mas este tempo já se foi. Quanto mudou em 10 anos.

Meninos curtindo esporte de raquetes

Jogadores de tênis, raquete de Squahs


Quando jovens, temos tudo à nossa frente. Toda força, todas as convicções. Você sabe tudo, você pode tudo. E vamos construindo nossas vidas. Aí a gente se casa e tem filhos. Uma tonelada de responsabilidade nas nossas costas. Tudo muda em um piscar de olhos. Agora tem gente que depende de você para quase tudo. Precisamos dar educação, os melhores valores, os melhores exemplos. Somos heróis, não podemos falhar! Não temos tempo para pensar no que fazer, temos que fazer e vamos fazendo.

E aí eles crescem. Eles se tornam mais espertos e mais fortes que você. Começam a fazer as próprias escolhas e temos que confiar que estão fazendo as melhores que podem. Por outro lado, nossos sonhos já se realizaram ou foram abandonados. Nossa esperança é mais tímida, mostrando as rugas da experiência que diz o que é factível. Temos uma carreira estável, boa ou ruim. Se fomos bem sucedidos, temos recursos para curtir a vida. Caso contrário, já nos ajustamos às possibilidades e vamos tocando a vida como dá.

O estranho sobre nossa história é que a gente gostaria de ter tudo. Imagine envelhecendo e ao mesmo tempo ter mais vigor, energia e sonhos do que tínhamos quando jovens? Toda experiência, sabedoria, recursos e poder? Não seria bom demais?

Toda história em um olhar

Um senhor olhando para seu passado


Pois é, acabo de perceber porque as coisas são melhores do jeito que são. Desta forma a juventude pode admirar seus idosos, sua sabedoria, sua visão. Os idosos podem respeitar a nova geração, já que são eles quem podem realizar seus sonhos. Assim nem o passado nem o futuro é melhor. Vamos aproveitar o presente, já que é nele que a vida acontece.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.