Um fim de semana na Megalópole


Eu prometi no post

 que ia fotografar São Paulo e e postar as fotos. Estou cumprindo a promessa. Meus meninos gostam de dizer que eu sempre cumpro o que prometo. Eu me esforço bastante para que isto continue sendo verdade.

Meu plano inicial era de passear muito pela cidade, de visitar os muitos amigos que temos por lá, comer nos restaurantes que hoje alimentam apenas nossas lembranças, descansar nos parques que nos fizeram apaixonar por São Paulo e ao mesmo tempo desfrutar o máximo da companhia dos queridos amigos que nos receberam tão bem. Tudo isto em um fim de semana.

Claro que não seria possível fazer tudo e o coração ditou nossas escolhas. Optamos por desfrutar ao máximo dos nossos amigos mais chegados e foi muito bom. Ficou a vontade de rever os muitos outros amigos, o que faremos numa próxima vez. Você, você e você também, por favor perdoe a nossa omissão, a viagem passou voando!

No pouco tempo que tivemos, rimos muito, brincamos muito, contamos muito caso, relembramos histórias, dividimos cargas, reafirmamos nossa amizade e percebemos que o tempo e a distância não foram capazes de nos afastar. Bacana ver como o que faz diferença na vida são as pessoas com que podemos contar quando tudo está difícil e com quem podemos festejar quando tudo está bom. Somos gratos pelos amigos que temos, pela recepção que tivemos, pela companhia agradável e pela história que vivenciamos juntos.

Mas a festa sempre acaba e começamos nossa viagem de volta no Aeroporto de Congonhas, ao pegar um ônibus para o Aeroporto de Guarulhos. Ao longo do caminho fui aproveitando para fotografar São Paulo. Quando eu estava escrevendo o post anterior, me surpreendi ao constatar que as fotos que eu tinha de São Paulo eram de quando eu ainda usava filme.  

Várias cenas interessantes. O cigarro, insuportável para uns, continua essencial para outros. Fica na mão, mas do lado de fora.

As múltiplas cores, os múltiplos estilos. O concreto deixa o cinza, ganha cores e árvores. As casa continuam apertadas, o espaço aproveitado ao máximo.

São Paulo das diferenças. Alguns vivem com simples e belas janelas…

enquanto outros tem deslumbrantes varandas.

Outros, ainda, nem janela tem.

A sofisticação e opulência de uns…

contrasta com a simplicidade e improviso de outros. Dividem a paisagem, os espaços, a atenção e as pessoas.

Alguns marcos são históricos, restaurados e belos. Fazem parte da memória de muita gente quando se apresentaram como a porta de entrada de São Paulo.

Cidade do trabaho, dos negócios, dos anúncios…

também é cidade das oportunidades.

A cidade, que é grande, precisa de soluções para o transporte. O simples atravessar de uma via demanda um trajeto longo e tortuoso.

Novos mercados surgem com o trânsito caótico. Inesperado mas útil.

São Paulo é Brasil, e como o Brasil, vive com intensidade suas questões. 

Engraçado pensar que o trajeto de casa a Congonhas demorou mais que o trajeto de Congonhas a Guarulhos, que demorou mais que o vôo até Belo Horizonte. Visitar São Paulo é muito bom mas enquanto não chegamos ao aeroporto, precisamos ter paciência. O tráfego é intenso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.