Morro acima, contra o vento


Ganhei minha primeira bicicleta aos 4 anos. Desde então já tive muitas outras e pedalei um tanto mais. Já passei por perigos e situações arriscadas, às vezes caindo e me machucando. Apesar disto, somente uma vez tive um acidente sério e ele aconteceu com minha primeira bicicleta. Eu mal lembro de como tudo aconteceu, mas meu irmão teve seu dedo preso na corrente. Foi tenso mas ele teve um atendimento competente e nenhum dano permanente, graças a Deus.

Aprendi algumas lições durante minhas pedaladas. A gente morava no alto de um morro e toda vez que saia para dar uma volta, eu tinha uns dois quilômetros de descida à minha frente. Isto era bom demais. Era a primeira coisa que eu pensava quando pegava minha bicicleta:o vento, a velocidade, a descida tranquila e longa à minha frente. Eu costumava andar de bicicleta por duas, três, quatros horas seguidas. Olhando para trás eu acho que os passeios eram tão longos por causa do caminho de volta. Eu desanimava só de pensar nas subidas que eu tinha que enfrentar antes de chegar em casa. Eu tentava, do pior jeito possível, evitar as subidas. Querendo ou não, cedo ou tarde eu teria que enfrentá-las.

Hoje eu estou tentando mostrar aos meus filhos os prazeres do ciclismo. Ao contrário do que eu vivi, ao invés de gastarem seu quarto ano de idade pedalando ele s passaram surfando na Internet. Todo fim se semana eu coloco as bicicletas no carro e vamos para alguma trilha em torno de 1 hora de casa. Algumas vezes a trilha tem subidas compridas e eles odeiam, outras vezes não há árvores e o sol forte é a razão das reclamações. Hoje eu tive sorte ao escolher a Coyote Creek Trail que é uma trilha muito agradável. Uma imensidão de árvores garantiram uma temperatura tranquila para nossa jornada.

Estas trilhas frequentemente propiciam um delicioso tempo familiar. A gente se cure e diverte ao ver os meninos enquanto eles tiram fotos e brincam um com o outro. Hoje, logo que começamos a trilha Gabriel parou para tirar a foto de um belo lago. Eu teria uma foto deste lago aqui se não tivesse esquecido minha câmera…

Apesar de ser muito divertido, andar de bicicleta tem suas dificuldades. Você fica cansado e suado, às vezes com fome e sede. Vale a pena, mas você precisa manter o foco além do esforço. Como quase tudo na vida, requer esforço e dedicação.

Nesta altura você já deve ter percebido que eu estou usando o ciclismo como uma metáfora. Nossas vidas, a sua vida, é como andar de bicicleta. Algumas vezes você ignora a volta e aproveita uma descida longa e íngreme. Em outros momentos você se cansa do vento e da subida e tentar descer e empurrar a bicicleta.

Viver não é fácil, nem sempre é agradável, mas se você mantiver o ritmo você vai colher os benefícios. Aproveite a viagem, curta os momentos alegres, gaste tempo com sua família, valorize os momentos simples, sorria e pegue pesado no trabalho.

No final, o sorriso vencedor será a recompensa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.